quarta-feira, 27 de julho de 2016

25% das vagas online para professores são para línguas estrangeiras

Pesquisa da Adzuna, ferramenta de pesquisa de empregos com operações no Brasil, Reino Unido, Rússia, Canadá, África do Sul, Alemanha, Países Baixos, França, Polônia, Índia e Austrália, indica que 25% das vagas online para professores são para línguas estrangeiras.

Os resultados provém de uma análise de todos os 4.900 anúncios online para professores de quaisquer disciplinas.

Das línguas estrangeiras o inglês é o mais procurado pelas instituições de ensino que buscam professores, com 15% das vagas para docentes abertas online no Brasil. Esse número é quase 8 vezes maior que o número para professores de português, por exemplo, que  equivalem a 2%.

As 10 línguas mais comuns de serem aprendidas como segunda língua tem um número bastante desigual de vagas para professores. O inglês lidera o ranking com 768 cargos abertos online, seguida do espanhol com 179, francês (100), alemão (76) e italiano (62). As outras 5 línguas da lista possuem menos que 30 vagas, como japonês, chinês e árabe; russo e holandês possuem menos de 10 vagas. (Fig.1)

Em relação ao número total de vagas para professores, independentemente da matéria de ensino, cerca de 75% das vagas estão concentradas na região Sudeste. Em especial na grande São Paulo, que concentra 1.719 oportunidades abertas online, o que equivale a 35% do total de vagas do Brasil.

A segunda região com maior número de vagas é o Sul, com aproximadamente 9% das vagas. O Nordeste e Centro-Oeste tem 3,4% e 4% respectivamente, sendo o Norte a região com o menor número anúncios de vagas abertas online do país, com apenas 0,8%.

A pesquisa foi realizada com base nas vagas indexadas no buscador de vagas, não incluindo vagas públicas do governo. Também vale ressaltar que muitas das vagas no ensino privado são preenchidas por recomendação.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Resenha - Inglês para professor

Fonte: http://blogdisal.com.br/resenha-ingles-para-professor-vanessa-prata/

Após uns meses sem conseguir contribuir para o blog da Disal (tenho a desculpa de estar na fase de qualificação do mestrado rs…), estou de volta! E escolhi como tema comentar o livro Inglês para Professor, de Higor Cavalcante, pois tem um motivo especial para mim.
Conheci o Higor ainda na adolescência (só uns aninhos atrás, não é, Higor?), quando nós dois éramos alunos de uma escola de inglês. O detalhe é que não era na mesma unidade, e só nos conhecemos inicialmente como pen pals, numa época pré-email, Facebook e WhatsApp, por meio do jornalzinho que circulava entre as unidades dessa franquia. Morávamos longe um do outro também e, até então, não tínhamos amigos em comum. Ou seja, tinha tudo para não dar em nada. Mas eis que no final da adolescência éramos praticamente best friends e, ao longo de nossas carreiras, sempre fomos nos cruzando, apesar de nunca trabalharmos juntos na mesma escola ao mesmo tempo. Ainda hoje mantemos contato, embora bem menos do que gostaria. Nem conheci a filhinha dele ainda… precisamos mudar isso!
Enfim, depois de todo esse preâmbulo, vamos à pauta: seu primeiro livro, Inglês para Professor, editado pela Disal. Como o subtítulo já explica, o livro aborda vocabulário, gramática e pronúncia para professores (brasileiros) de inglês. Mas um livro de inglês para professor, como assim? O prefácio de Luiz Otávio Barros explica: há um abismo entre saber que e saber como, ou seja, muitos professores conhecem as regras, mas não sabem utilizá-las na prática. Por outro lado, há profissionais com bom domínio do idioma, mas conhecimentos limitados de suas principais regras e exceções.
Certamente todo professor, mesmo os que sabem as regras e como usá-las, aprenderão algo a partir do livro também. Só nas primeiras páginas, por exemplo, já aprendi palavras novas como mottledbumpychuffed,stifling, que podemos usar só sit an exam ou sit for an exam (Australian English), que a redução de uma palavra mais longa, como acontece com fridge (de refrigerator), chama-se clipping, e muitas outras coisas.
O livro é escrito em linguagem informal e fácil de ler, com exemplos de todos os pontos abordados e algumas seções com foco nas dúvidas mais comuns de professores brasileiros de inglês. Mas claro que o material pode ser útil para alunos de inglês também, notadamente os de nível avançado. Vem ainda com um CD, com a gravação de todas as frases de exemplo do capítulo de pronúncia, e exercícios de cada tema abordado (que eu ainda não fiz, mas farei pós-qualificação. Professor também enrola para fazer homework…).
Evidentemente, um livro que aborda três macroáreas não pode aprofundar nenhuma delas, mas isso não chega a ser um defeito. O objetivo do material é focar nas principais dificuldades de professores de inglês, e não ser uma obra de referência de vocabulário, gramática ou pronúncia. Cumpre bem essa função e complementa outros materiais que os professores precisamos conhecer, consultar sempre e, claro, aplicar em sala de aula.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

50 dicas de sites

Fonte: http://incrivel.club/inspiracao-dicas/os-50-melhores-sites-na-web-para-quem-esta-aprendendo-ingles-1405/

Inglês para iniciantes

  • Duolingo — um dos sites mais populares para o ensino de línguas estrangeiras partindo do zero. O programa de cada curso se baseia na forma de uma "árvore de conquistas": para passar ao nível seguinte, é necessária determinada quantidade de pontos, que são obtidos respondendo corretamente as perguntas.

Redes sociais para quem aprende idiomas

  • Interpals — amigos por correspondência. É uma grande comunidade internacional tipo Facebook ou outra rede social, mas com ênfase no ensino de idiomas.
  • Englishbaby — rede social com lições de inglês. Aqui, aprender o idioma é possível de diversas formas: você pode se comunicar com outros usuários via chat, no fórum, trocando mensagens privadas, ou ainda resolvendo enigmas gramaticais e ouvindo gravações em áudio.
  • Lang-8 — site para praticar a linguagem escrita para aqueles que já dominam o nível básico. O usuário escreve um texto no idioma que está aprendendo, e em seguida o texto aparece revisado e corrigido por algum nativo do idioma.
  • Sharedtalk.com — rede social que te ajudará a aprender qualquer idioma estrangeiro. É especialmente boa para quem já domina parcialmente e deseja praticar.
  • Livemocha — aqui você ajuda alguém e é ajudado de volta. Os exercícios que não são possíveis de serem corrigidos por um software, são corrigidos por nativos do idioma. E eles fazem isso não apenas por serem legais, mas também para que alguém lhes ajude em suas tarefas.
  • Mylanguageexchange — rede social onde é possível escolher um parceiro ideal para aprender o idioma: você indica qual é sua língua materna, o país e idade aproximada do companheiro que deseja encontrar.
  • Italki — rede que transforma qualquer nativo em professor do idioma. Dá a você a oportunidade de dar aulas profissionais àqueles que desejam aprender: você inscreve seus alunos numa lista, marca um horário e entra em contato com eles na hora agendada. Você pode usar este site como professor ou aluno, a escolha é sua.
  • Busuu.com — comunidade em linha para quem estuda idiomas estrangeiros. Cada membro é, ao mesmo tempo, professor e aluno, ajudando os demais a aprender sua língua materna.
  • Lingq — aqui você encontra aulas para aumentar seu vocabulário e também lições temáticas. Com um pagamento extra, é possível ter aulas adicionais.

Canais do YouTube em inglês

  • Twominute English — oferece lições curtas que duram cerca de dois minutos, tudo muito simples e fácil. Você pode abrir a caminho do trabalho ou da escola, inclusive em seu celular. Só não vale digitar enquanto dirige.
  • MinooAngloLink — várias lições úteis de gramática.
  • Dailydictation — com inglês americano, oferece a chance de ouvir e transcrever textos curtos. Em seguida, trabalha a pronúncia.
  • Duncaninchina — vídeos simples em inglês sobre qualquer tema, em inglês.
  • EnglishLessons4U — variada seleção de vídeos com temas diversos.
  • Learn English with Ronnie — a maioria dos vídeos é dedicada à gramática. Tudo explicado de maneira divertida e agradável, com humor.
  • English with Jennifer — aqui você encontra dicas sobre como melhorar a pronúncia, entender gramática e muito mais. Útil tanto para estudantes como para professores.
  • Rachel’s English — canal especialmente indicado para aqueles que têm dificuldades com a pronúncia.
  • Anglo-Link — a variedade de material oferecido neste ambiente virtual é impressionante. A maioria das lições é dedicada à gramática.
  • EnglishClass101 — sobre coisas simples em inglês. Ótimo para os que entendem parcialmente as regras gramaticais, mas têm dificuldade na hora de falar.
  • BBC Learning English — grande quantidade de vídeos sobre inúmeros temas.
  • Learn English with Steve Ford — o autor do canal é professor profissional com 20 anos de experiência. Conta com materiais úteis tanto para principiantes como para estudantes de nível avançado.
  • AlexESLvid’s Free English Lessons — canal popular com podcasts interessantes e atualizações diárias.
  • Learn English with Let’s Talk — ótimas lições com assuntos variados, baseadas em métodos contemporâneos de aprendizagem.
  • Engvid — grande coleção de lições oferecidas por nativos.

Sites interativos

  • LearnEnglish — site com muito material para níveis diferentes, em formatos distintos. Você encontra lições, vídeos e jogos, e poderá também se comunicar com outros usuários.
  • Real-english.com — espaço web bastante avançado, com lições, artigos e vídeos. Antes de começar a explorar, escolha seu idioma na página principal.
  • Eslpod.com — Ótimo portal de ensino californiano. Sua principal tarefa é ensinar inglês como um segundo idioma. Oferece a possibilidade de baixar inúmeros podcasts para trabalhar a partir deles, além de dicionários.
  • Learn American English online — um grande recurso para aprendizagem do inglês. Todo o material apresentado é distribuído através de níveis. Paul, dos Estados Unidos, explica gramática em seus vídeos.
  • English-attack — método de ensino baseado no uso de vídeos, fotos, jogos e conversações com amigos para praticar o inglês todos os dias.

Aprendizagem do idioma com ajuda de filmes e séries de TV

  • Оroro.tv — filmes e seriados de TV com tradutor incorporado. E séries de televisão com tradutor incorporado. Um verdadeiro achado para os aficionados por cinema que estão aprendendo inglês.
  • Film-english — aprenda o idioma através de filmes curtos. A página possui assuntos diversos: férias em Barcelona, problemas da agricultura britânica, etc.

Pratique suas habilidades de fala e compreensão auditiva

  • BBC English — estude o idioma moderno ao vivo através da rede BBC (British Broadcasting Corporation), a TV estatal britânica.
  • Elllo.org — aqui você encontra podcasts de todo o mundo com variedade de temas. O idioma vivo com muitas impressões e explicações (tudo em inglês). Você pode comparar a pronúncia do Canadá, da Inglaterra, da Austrália, etc.
  • TuneintoEnglish — oferece a chance de você se sintonizar com o inglês por meio da música. É possível transcrever letras de música, cantar karaokê, encontrar exercícios com base nas letras e adivinhar, a partir de diagramas, de que canção se trata.

Ampliar o vocabulário

  • FreeRice — ajuda a conhecer novas palavras. Conta ainda com exercícios e testes em diferentes temas gramaticais.
  • Мemrise — durante a aprendizagem, o usuário pode selecionar uma imagem ou meme para fazer associação com uma palavra ou outra. Em seguida, é preciso realizar uma série de exercícios de múltipla escolha para que você passe a entender a palavra ao ouvi-la.
  • Babbel — vocabulário visual dividido em lições temáticas. Seu sistema possibilita aumentar o vocabulário de três maneiras ao mesmo tempo: repetindo as palavras do narrador no gravador, anotando-as com a ajuda de letras sugeridas e reproduzindo-as num contexto apropriado.

Gramática e ortografia

  • Myspelling — excelente site para praticar a ortografia. Você pode ouvir determinada palavra e escrevê-la em seguida.
  • Britishcouncil.org — site do British Council (Conselho Britânico). Possui testes, gramática, jogos e muito mais. Tudo está em Inglês, o que pode dificultar para os principiantes. Mas vale a pena tentar.

Prepare-se para as provas

  • МanyThings — com facilidade você pode se preparar para suas provas do idioma. Possui seções para trabalhar a pronúncia (inglês britânico ou americano), expressões idiomáticas, jargões, etc.
  • ЕxamEnglish — um verdadeiro tesouro para aqueles que precisam se preparar para exame internacional (IELTS, TOEFL, TOEIC, etc.).

Aplicativos

  • HelloTalk — você simplesmente escolhe a língua que quer aprender (há mais de 100 disponíveis) e, de imediato, conhecerá algum nativo daquele idioma.
  • ListeningDrill — programa que permite baixar vídeos a partir do TED.com e assisti-los legendados em dois idiomas de uma vez só.
  • Learn English by Listening — um excelente curso para principiantes, em forma de arquivos em áudio e suas respectivas transcrições. Contém seis níveis de dificuldade.

Outros sites interessantes

  • Polyglothub — blog em Inglês onde os usuários compartilham suas experiências de aprendizagem.
  • Curso-ingles — inglês para todos: desde principiantes até estudantes avançados; exercícios, vocabulário, gramática, etc.
  • Mansioningles — oferece a você lições, exercícios e livros em inglês.
  • Inglesmundial — possui lições para diferentes níveis, contém vocabulário, exercícios interativos, regras gramaticais, etc.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Merry Christmas and Happy New Year!

To all readers of this blog, I wish a wonderful Christmas and New Year! See you in 2016!

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Rede de escolas 4YOU2 ensina inglês a preços populares para comunidades com pouca renda

Por p&b Comunicação

Criado pelo estudante de economia Gustavo Fuga, de 22 anos, o negócio social convida refugiados e universitários estrangeiros a ensinar inglês em comunidades de baixa renda da cidade de São Paulo. O valor da mensalidade é até sete vezes menor que o de cursos tradicionais de idiomas.


Democratizar o acesso aos cursos de idiomas é o objetivo principal da rede de escolas 4YOU2. Ela capacita estrangeiros para ministrar aulas de língua inglesa em comunidades de baixa renda da cidade de São Paulo. O diferencial da empresa, criada pelo estudante de economia Gustavo Fuga, de 22 anos, está no preço acessível. Os alunos desembolsam R$ 76 por mês para terem aulas, já com material didático incluso. Esse valor chega a ser sete vezes menor que o cobrado por outras escolas de inglês do mercado.

A iniciativa está bem conectada com a realidade do mercado, pois um levantamento realizado pela empresa de recrutamento Catho aponta o quanto a fluência no inglês pode fazer a diferença na carreira. Profissionais com curso superior completo que dominam o idioma chegam a ganhar, em média, 47% mais que aqueles que não falam a língua. O problema é que, nem sempre, o inglês cabe no orçamento de famílias das classes C e D.
Pensando em solucionar essa demanda, o jovem acertou em um ponto importante do negócio: o perfil do professor contratado. São universitários de todas as partes do mundo, que vêm para o Brasil cursar uma espécie de estágio internacional. Para dar aulas na 4YOU2, eles ganham uma bolsa-auxílio, hospedagem e a oportunidade de imergirem na cultura do país, ao morarem na própria comunidade onde trabalham, o que também acaba gerando renda local.

O intercâmbio dura cerca de seis meses. Isso permite aos alunos da 4YOU2 contato com diversos professores, de diferentes países, sotaques e culturas. Atualmente, 16 estrangeiros lecionam na empresa. “Cinco são refugiados, que ensinam inglês na escola, apesar de não ser sua língua nativa. São pessoas que, por não falar português, tinham dificuldades em encontrar trabalho aqui no Brasil”, conta o fundador. Tanto os refugiados quanto os intercambistas são recebidos por moradores das comunidades onde acontecem as aulas. As chamadas host families ganham ajuda de custo de R$ 300 por mês da escola para abrigar os hóspedes.

Improviso com resultados
Nascido na zona oeste do Rio de Janeiro, Fuga mudou-se para São Paulo em 2010 com a meta de cursar faculdade. Já no primeiro semestre de economia na USP (Universidade de São Paulo), ingressou na Aiesec, uma rede estudantil internacional que organiza estágios para universitários ao redor do mundo. Dessa experiência, sacou as primeiras ideias para seu negócio social.

Atuando como coordenador de intercâmbios, o jovem precisou ter jogo de cintura para lidar com um imprevisto: um dos projetos da Aiesec, que viabilizara a vinda de um estudante estrangeiro para trabalhar na região do Capão Redondo, acabou sendo cancelado. Mas o aluno já estava em São Paulo. Em uma tentativa de resolver o problema, Fuga criou a própria empresa. “Inventei na hora um projeto de aulas de inglês que, na verdade, nem existia.”

Ele passou a noite em claro pensando em como tornar realidade a proposta inventada de supetão: trazer estrangeiros para ensinar inglês em regiões pobres de São Paulo, onde seriam recebidos por famílias locais e viveriam um intercâmbio cultural. Em abril de 2012, constituiu a 4YOU2 exatamente com esse formato.

Novos horizontes
No primeiro ano de atuação, a 4YOU2 alcançou a marca de mais de 300 estudantes matriculados. As aulas aconteciam dentro da ONG Fábrica de Criatividade, localizada no Capão Redondo, que alugou o espaço. Mas, com a crescente demanda por vagas, já era hora de expandir.

Gustavo convidou o americano Raley White, de 27 anos, para ser o diretor de operações. O estrangeiro elaborou um manual de normatização para que o método de ensino e administração da 4YOU2 pudesse ser replicado em outras unidades. Hoje, existem quatro escolas em São Paulo, nos bairros de Heliópolis, Jardim Ângela, Campo Limpo e Capão Redondo. Ao todo, são 1.500 alunos matriculados. Entre eles, está a coordenadora de eventos Thais Brandão Gullotta, de 24 anos. “As aulas são sempre dinâmicas, não ficamos só nos livros, e os próprios alunos também ensinam aos professores palavras em português ou hábitos da nossa cultura. É uma troca muito prazerosa”, afirma a estudante.

Até o fim de 2017, Fuga planeja ter 14 unidades espalhadas pela capital paulista, além de uma plataforma online para alcançar cada vez mais pessoas. “Nossos alunos são muito envolvidos com os professores e com a escola, e isso diminui muito a evasão”, avalia. O empreendedor também já foi procurado recentemente por representantes de comunidades de outras cidades para expandir seu modelo de negócio social.

Pelo trabalho que desempenha e por todo o impacto positivo que está causando nas regiões onde atua, Gustavo Fuga está entre os três finalistas do Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro 2015. Realizada pela Folha de S.Paulo, a premiação reconhece e promove novos talentos sociais, entre 18 e 35 anos, que empreendem de forma inovadora na sociedade há no mínimo um ano e, no máximo, três. 
 
Site da 4YOU2: www.4y2.org